Poema “Oito Segundos”, do jornalista, poeta e escritor Auci Corrêa Fernandes

Montaria em touro / Imagem ilustrativa

O sol nasceu para todos,
Frase que parece dizer tudo,… Mas não diz nada.
Às vezes o sol é radiante, mais pra nós continua trevas,
Nem as luzes multicoloridas de um Disco Voador
É capaz de nos animar, ou trazer medo.

Indiferente, solitário em meio à multidão,
Segue o peão, rumo ao boi,
Parece que há um diálogo,
Mas é nada, só olho no olho,
E que vença o melhor…

Oito segundos parece pouco,
Para uma prosa, uma canção,
Mas para estar em cima do marruco
É simplesmente uma eternidade,
Tempo que não acaba mais.

Para ir de Jardineira, de um lado para outro,
Oito segundos não é nada,
A viagem pode durar um dia todo,
Mas para ir à outra dimensão
Em um disco voador é tempo suficiente.

Gosto da frase, “tudo é relativo”.
Pergunto-lhe: relativo à que?
Com que se compara uma vida,
Ao pensante destes versos, à jardineira,
Ao peão, ao touro ou ao Disco Voador.
Por Auci Corrêa Fernandes.

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *