Três Lagoas: 15 assassinatos de janeiro a abril deste ano

Três Lagoas teve 15 mortes violentas no primeiro quadrimestre deste ano

Homicídios se tornaram uma rotina na cidade / Foto JPNews

Três Lagoas teve 15 mortes violentas no primeiro quadrimestre deste ano – sete pessoas foram assassinadas e cinco morreram em troca de tiros com a Polícia Militar, no mês passado. Também houve três homicídios culposos (sem intenção) em acidentes de trânsito.

Entre as mortes, em dois casos houve feminicídio e, em média, quatro mulheres são agredidas por dia em Três Lagoas. Apesar desse índice, a cidade não conta com o sistema eletrônico conhecido por “botão de pânico”, que permite à vítima avisar a polícia sobre a aproximação de agressor, por meio de sinal GPS.  Além disso, a Delegacia de Atendimento a Mulher de Três Lagoas funciona com apenas quatro funcionários, além da delegada titular, Letícia Mobis.

O índice de criminalidade na cidade tem assustado moradores, com casos de violência em plena luz do dia. Nesta semana, bandidos roubaram um malote com R$ 60 mil de um gerente de posto de gasolina. De acordo com relatório da Secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), ocorreram 103 roubos na cidade, de janeiro a abril. Em média são 25 assaltos por mês – quase um por dia. No mesmo período houve nove roubos a lojas e comerciantes reclamam de prejuízos  e traumas ocasionados pela ação de marginais.

Recentemente foi reativado o Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), formado por lideranças e representantes de classes, como o comércio.

Durante reunião, na semana passada, o comerciante Nélson Alves Rodrigues, que já foi assaltado cinco vezes, cobrou providências das autoridades. “Do jeito que está não pode continuar. Em Três Lagoas há um roubo atrás do outro”, disse, aproveitando para cobrar o funcionamento de câmeras de monitoramento instaladas há dois anos na cidade, mas que boa parte não funciona por falta de manutenção. “Será que tudo é o comércio que tem que fazer? Cadê a resposta do governador, do secretário de Justiça e Segurança Pública que até agora não deram?”, questionou.

Apesar de queda no número de alguns tipos de crimes, em comparação ao mesmo período do ano passado, para o presidente do conselho, o índice três-lagoense é elevado diante da quantidade de habitantes – 117 mil, segundo o IBGE.

NÚMEROS
Em nota, a Sejusp afirma que executa diversas ações que contam com o apoio de suas forças policiais e da Superintendência de Inteligência, através de um planejamento estratégico.  Ainda segundo a secretaria, neste ano houve “uma redução significativa da criminalidade na cidade de Três Lagoas, principalmente em relação aos roubos e furtos em comparação ao primeiro quadrimestre de 2017”.  JPNews

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta