“A cadela é mansinha, nunca agrediu ninguém”, diz dono de pitbull que feriu criança

Ferimentos devem ser limpados diariamente durante 10 dias em Campo Grande, MS (Foto: Nathália Rabelo/G1 MS)

Ferimentos devem ser limpados diariamente durante 10 dias em Campo Grande, MS (Foto: Nathália Rabelo/G1 MS)

Adauto Lara Brandão, de 51 anos, é o dono da cadela pitbull que atacou um menino de seis anos na tarde de quarta-feira (9) em Campo Grande. De acordo com o homem, o cachorro é manso e nunca feriu ninguém antes.

Conforme o relato de Adauto ao G1 MS, ele conta que estava saindo de casa com a motocicleta quando o animal escapou sem ele perceber. Ele também disse que não viu a criança brincando no canteiro.

Após o ataque, o homem afirma que pegou a criança e a levou para a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) em frente ao local onde houve o incidente, mas, a unidade estava sem médicos. Desta forma, ele pediu carona a uma amiga que trabalha na UBSF. Juntos, eles levaram o garoto à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Coronel Antonino para atendimento.

Segundo o homem, o pitbull “é uma cadela dócil, tudo vacinada […] é mansinha, nunca agrediu ninguém”.

Entenda o Caso

Após ser atacado pelo animal, o garoto de seis anos levou dez pontos no braço. Segundo familiares, ele estava soltando pipa em um campo próximo à casa dela, na Vila Margarida, região norte da capital, quando aconteceu o incidente. A outra criança não foi ferida.

A mãe da vítima, Rosely Cavalheiro de Almeida, de 39 anos, disse que estava trabalhando quando foi avisada do ocorrido pela amiga, que cuidava do seu filho. O cachorro atacou o braço e a mão esquerda do menino.

Pela falta de médicos na UBSF e também devido à demora da ambulância, o garoto foi levado para a UPA Coronel Antonino. Ele ficará por dez dias em repouso e sem comparecer à escola.

“Chegando lá eu vi a situação que ele estava. Ele levou oito pontos por fora e dois por dentro […] foi um corte profundo, mas graças a Deus não aconteceu nada de pior”, comenta Rosely.

Campo onde menino foi atacado; unidade de saúde logo em frente em Campo Grande, MS (Foto: Nathália Rabelo/G1 MS) Campo onde menino foi atacado; unidade de saúde logo em frente em Campo Grande, MS (Foto: Nathália Rabelo/G1 MS)
Campo onde menino foi atacado; unidade de saúde logo em frente em Campo Grande, MS (Foto: Nathália Rabelo/G1 MS)
Investigação
A mulher registrou boletim de ocorrência e a agressão está sendo investigada pela 3ª Delegacia de Polícia de Campo Grande como lesão corporal dolosa e omissão na guarda de animal.

“Vai depender do grau da lesão. Se ela é leve, grave ou gravíssima. Caso haja comprovação de que se a criança não tem condições de estar na rua, com risco de sofrer algum acidente, deveria estar acompanhada de algum responsável, pode vir assim a causar alguma investigação nesse sentido, como abandono. Aí assim o caso seria encaminhado à delegacia especializada”, explica o delegado Geraldo Marim, responsável pelo caso.G1

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta